Gleisi diz que Aécio deveria pedir desculpas por não respeitar presunção de inocência de petistas

WebLink Hospedagem de Sites

Em discurso nesta terça-feira (4), a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) considerou correta a decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), de revogar o afastamento do senador Aécio Neves (PSDB-MG) do mandato. Aécio estava afastado desde maio, por decisão do ministro Edson Fachin, também do STF. Gleisi, entretanto, citando o discurso de retorno do colega, cobrou desculpas públicas por declarações de Aécio contra o PT, o ex-presidente Lula, o ex-tesoureiro João Vaccari e a militância petista.

— O que mais me impressiona é que o senador Aécio, quando começaram essas denúncias, foi o que mais ocupou esta tribuna para, com o dedo em riste, acusar o PT de [ser uma] organização criminosa, acusar Lula de chefe de quadrilha, dizer que o PT tinha que ser exterminado para resolver os problemas do país. Não foi nem uma, nem duas, nem três vezes esses posicionamentos do senador Aécio — afirmou.

De acordo com Gleisi Hoffmann, Aécio chamou o PT de ‘organização criminosa’ várias vezes e não teria respeitado a presunção de inocência de petistas como Lula e Vaccari. Para a senadora, Aécio agora pede que se respeite a presunção de inocência em seu favor.

— O senador Aécio veio nesta tribuna falar exatamente do devido processo legal, que ele foi agredido na sua presunção de inocência, que o devido processo legal não foi observado, que ele foi vítima, mas nós também fomos vítimas. O Partido dos Trabalhadores foi vítima, o Lula foi vítima, nossos dirigentes foram vítimas. Vossa excelência está sendo vítima do ódio e intolerância que pregou — disse.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: http://www12.senado.gov.br/noticias/noticias/materias/2017/07/04/gleisi-diz-que-aecio-deveria-pedir-desculpas-por-nao-respeitar-presuncao-de-inocencia-de-petistas
Todas as informações contidas nesta página são de responsabilidade do seu criador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *