2a Turma do Supremo nega Habeas Corpus a Miguel Guskow

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal negou hoje (30/9) o Habeas Corpus (HC 83263) requerido pela defesa do subprocurador-geral da República Miguel Guskow, que foi afastado de seu cargo por decisão da Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

 

A medida foi tomada quando o STJ recebeu denúncia do Ministério Público Federal, e instaurou Ação Penal para investigar a suposta prática do crime de exploração de prestígio (artigo 357 do Código Penal).

 

Explorar o prestígio consiste em solicitar ou receber dinheiro ou qualquer outra utilidade, a pretexto de influenciar juiz, jurado, órgão do Ministério Público, funcionário de justiça, perito, tradutor, intérprete ou testemunha. É considerado crime contra a administração da Justiça.

 

Os advogados de defesa sustentam que a Corte Especial do STJ seria incompetente para decidir o afastamento do cargo do subprocurador, pois a Lei Orgânica do Ministério Público (Lei complementar 75/93) estabelece ser o Conselho Superior da instituição a autoridade competente para tomar essa medida (artigo 260).

 

O relator, ministro Nelson Jobim, ao proferir seu voto, não conheceu do HC por considerá-lo meio inadequado para analisar a decisão do STJ que o afastou do cargo, pois no caso não haveria risco, efetivo ou remoto, de restrição ao direito de ir e vir do paciente. A Turma, por votação unânime, não conheceu do Habeas, arquivando-o.

 


Ministro Jobim, relator do HC (cópia em alta resolução)

 

#CG/PG//AM

 

Leia mais:

 

04/07/2003 – 18:28 – Miguel Guskow recorre ao STF contra afastamento do Ministério Público

 

09/06/2003 – 19:11 – Miguel Guskow pede Habeas Corpus ao Supremo para trancar Ação Penal no STJ

Fonte: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=61365
Todas as informações contidas nesta página são de responsabilidade do seu criador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *