CE aprova criação da Semana da Mulher Senadora

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) aprovou o projeto de resolução que cria, no âmbito do Senado, o programa Semana da Mulher Senadora (PRS 80/2019). A intenção da proposta, da senadora Soraya Thronicke (PSL-MS), é incentivar as cidadãs a se envolverem mais com a política e com as pautas ligadas à igualdade de gênero.

O programa prevê a realização de um Concurso de Redação, todos os anos, para selecionar cidadãs de todo o país para viverem, durante uma semana, a atividade parlamentar no Senado. Ao final da semana, durante uma sessão no Plenário, elas aprovariam projetos que passariam a tramitar normalmente na Casa, podendo tornarem-se leis vigentes no Brasil.

Caberá à Secretaria de Relações Públicas escolher o tema de cada edição do Concurso de Redação, que sempre tratarão da condição da mulher na sociedade, estimulando reflexões sobre a igualdade de gênero. As vencedoras, uma de cada unidade da Federação, participarão da Semana da Mulher Senadora, que será sempre realizada em março.

A relatora do projeto de resolução foi a senadora Maria do Carmo Alves (DEM-SE).

— As mulheres poderão ver, pelo exemplo e pela experiência, como é possível expor os problemas do país e construir soluções pela via parlamentar. Com um pouco de sorte, talvez despertemos até algumas vocações para a política, contribuindo para uma ocupação mais igualitária de cargos eletivos por homens e mulheres. A representatividade feminina importa. Por mais que possamos ter homens sensíveis às causas femininas, nada substitui o peso de ver mulheres exercendo diretamente cargos eletivos, clamando pela igualdade real com a própria voz — disse Maria do Carmo.

Poucas mulheres 

A senadora mencionou dados oficiais para mostrar como o Brasil está atrasado quanto à participação de mulheres na política.

— Hoje as parlamentares são pouco mais de 11% no Parlamento. Número extremamente baixo se comparado à proporção de mulheres na sociedade (51%), pondo o Brasil na 156ª colocação mundial neste quesito. Foram mulheres no parlamento de Ruanda que aprovaram uma lei sobre direitos trabalhistas para grávidas. Na Argentina, foram responsáveis por medidas voltadas para a saúde sexual. No Brasil, tiveram papel fundamental na aprovação da Lei Maria da Penha. Há ainda uma questão simbólica, pois ver mulheres em posições de poder encoraja outras mulheres a buscarem papéis de liderança em outros setores sociais — afirmou a senadora.

Na justificativa, Thronicke afirmou que a iniciativa será mais um passo do Senado visando combater o machismo, “algo impregnado na cultura brasileira”. A análise da criação da Semana da Mulher Senadora segue agora à Comissão Diretora da Casa.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: http://www12.senado.gov.br/noticias/noticias/materias/2019/12/10/ce-aprova-criacao-da-semana-da-mulher-senadora
Todas as informações contidas nesta página são de responsabilidade do seu criador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *