Collor defende solução pacífica para conflito na Síria

De volta ao Brasil após viagem ao Oriente Médio, o presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), Fernando Collor de Mello (PTC-AL), afirmou nesta quinta-feira (22), da tribuna do Plenário, que a solução para o conflito na Síria deve ser negociada e conduzida pelo povo sírio. Para o senador, ideologias não devem atrapalhar as relações do Brasil com outros países.

Collor, que foi recebido em audiência pelo presidente da Síria, Bashar al-Assad, em Damasco, no início do mês, avaliou que o Brasil tem sabido manter postura justa e equilibrada em meio à guerra na Síria e deve prosseguir nos esforços para encerrar o conflito, que já conta cerca de 500 mil mortes, 5 milhões de refugiados e mais de 6 milhões de deslocados internos.

— Tenho a firme convicção de que devemos, cada vez mais de perto, acompanhar com toda a atenção no Congresso Nacional os desenvolvimentos dessa guerra brutal e apoiar todos os esforços por uma solução pacífica, negociada, conduzida pelo próprio povo sírio e facilitada pelas Nações Unidas. Só assim será possível permitir o fim da guerra, a reconciliação nacional e a reconstrução do país – defendeu.

O senador, que também se reuniu com lideranças parlamentares, religiosas, diplomáticas e políticas da Síria, Irã e Líbano, defendeu o incremento do diálogo e do comércio bilateral com essas nações.

— Não podemos deixar que ideologias, nem de esquerda, nem de direita, interponham-se em nossas relações com todos os países do mundo. Devemos seguir ampliando nosso comércio, devemos continuar o diálogo construtivo e devemos manter nossa influência positiva sobre a comunidade internacional – ressaltou.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: http://www12.senado.gov.br/noticias/noticias/materias/2018/11/22/collor-defende-solucao-pacifica-para-conflito-na-siria
Todas as informações contidas nesta página são de responsabilidade do seu criador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *