Comissão debate aumento do número de suicídios e formas de prevenção

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) promove na segunda-feira (3), a partir das 14h30, audiência pública interativa para debater o aumento do número de suicídios no Brasil nos últimos anos. Senadores e convidados vão analisar as causas do problema e as soluções para prevenir e combater esse quadro.

Foram convidados a repórter da TV Brasil Ana Graziela Aguiar, a porta-voz do Centro de Valorização da Vida (CVV), Leila Herédia, e o psiquiatra especializado em infância e adolescência André de Mattos Salles. Também devem participar representantes do Ministério da Saúde, do Conselho Federal de Psicologia e da Organização Pan-Americana da Saúde.

A audiência foi requerida pela presidente da CDH, senadora Regina Sousa (PT-PI), e será realizada na sala 6 da Ala Nilo Coelho,  Anexo 2 do Senado Federal. De acordo com Regina, a taxa de suicídios na faixa etária de 15 a 29 anos era de 4,4 por 100 mil habitantes em 1980, caindo para 4,1 em 1990 e passando a 4,5 em 2000. O crescimento do número de suicídios entre 1980 e 2014 foi de 27,2%, diz a senadora.

“Um dos estudos mais completos sobre o tema, feito pelos pesquisadores Daiane Borges Machado e Darci Neves dos Santos, da Universidade Federal da Bahia (UFBA), analisou dados do Sistema de Informações sobre a Mortalidade Brasileira (SIM), Datasus e IBGE entre os anos 2000 e 2012 no Brasil. As pessoas que mais cometeram suicídio foram as menos escolarizadas, indígenas (132% mais casos que na população em geral) e homens maiores de 59 anos (29% a mais que nas outras faixas etárias)”, acrescenta a senadora no pedido de realização da audiência.

COMO ACOMPANHAR E PARTICIPAR

Participe:
http://bit.ly/audienciainterativa
Portal e-Cidadania:
senado.leg.br/ecidadania
Alô Senado (0800-612211)

Fonte: http://www12.senado.gov.br/noticias/noticias/materias/2018/08/30/comissao-debate-aumento-do-numero-de-suicidios-e-formas-de-prevencao
Todas as informações contidas nesta página são de responsabilidade do seu criador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *