Comissão deve votar novo Plano Nacional de Educação até novembro

LOC: O NOVO “PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO” DEVE SER VOTADO NA COMISSÃO ATÉ NOVEMBRO.

LOC: É O QUE PLANEJAM OS SENADORES CYRO MIRANDA, PRESIDENTE DA COMISSÃO DE EDUCAÇÃO, E ALVARO DIAS, RELATOR. CONFIRA NA REPORTAGEM DE SERGIO VIEIRA.

(Repórter) O anúncio foi feito pelo relator, senador Álvaro Dias do PSDB do Paraná, e confirmado pelo presidente da Comissão, Cyro Miranda, do PSDB de Goiás. Ele adiantou que o colegiado pode transformar o novo PNE em uma Lei de Responsabilidade para a educação, em que os governantes e administradores sofreriam punições e sanções caso não cumprissem as metas estabelecidas.

(Cyro Miranda) Este Plano Nacional de Educação nós temos como meta principal fazê-lo cumprir. Não é chegarmos daqui a 10 anos e dizermos assim: “Olha, fizemos só 60%. Ah que pena, então vamos fazer outra meta”. Não, tem que ter como o senador Álvaro Dias falou, as penalidades, a Lei de Responsabilidade Educacional.

(Repórter) Álvaro Dias informou que deve entregar seu Relatório já nas próximas semanas, e lamentou profundamente a demora na discussão do Plano pelo Governo e Congresso, percebendo também uma apatia em relação ao novo PNE entre os próprios educadores. (ALVARO DIAS): Quando se trata de definir o futuro do país, elaborando um Plano para a educação nacional, nós não notamos o mesmo interesse, o mesmo entusiasmo, a mesma disposição e a mesma pressão sobre o Congresso Nacional. É de se indagar se este país tem futuro diante do cenário que nós podemos presenciar, deste desinteresse em relação a questões fundamentais.

(Repórter) Representantes do setor privado participaram da audiência nesta quinta-feira. O líder do PT, Wellington Dias, do Piauí, espera que o Plano estabeleça metas claras para uma integração efetiva das Universidades com a realidade social do país e as empresas.

(Wellington Dias) Em vários países do mundo o curso de Medicina é um hospital. A Faculdade, a Universidade ela tem ali uma base real, não é um laboratório fictício. Um curso de Agronomia ou Técnico Agrícola é na zona rural, e um casamento com o próprio setor privado…Hoje o setor privado se queixa que recebe o aluno que sai e ele tem praticamente que aprender no primeiro, segundo, terceiro ano na sua empresa.

(Repórter) O presidente da Comissão, senador Cyro Miranda, também defendeu que o novo PNE estabeleça metas de expansão para o Ensino a Distância.

Fonte: http://www.senado.gov.br/noticias/Radio/programaConteudoPadrao.asp?COD_TIPO_PROGRAMA=4&COD_AUDIO=483816
Todas as informações contidas nesta página são de responsabilidade do seu criador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *