Corregedor conhece sistema de monitoramento da corregedoria de Rondônia

O corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, recebeu, nesta terça-feira (20), a equipe da Corregedoria-Geral do Tribunal de Justiça de Rondônia (TJRO) para apresentação do sistema “Eolis” e do banco de dados “Ventos”, inovações tecnológicas que poderão ser aproveitadas pelo Conselho Nacional de Justiça.

A visita da equipe de Rondônia foi decorrente de um convite feito pelo ministro Humberto Martins após tomar conhecimento das duas ferramentas desenvolvidas pelo Judiciário do estado. “Tudo que é bom deve ser distribuído”, disse o ministro.

Nos trabalhos de inspeção feitos pela Corregedoria Nacional de Justiça, Humberto Martins tem orientado sua equipe a ficar alerta sobre boas práticas verificadas nos tribunais que podem ser replicadas no país. Ao tomar conhecimento de que o TJRO foi pioneiro no desenvolvimento de uma ferramenta utilizada pelo órgão de correição local, com baixo custo, o ministro quis conhecer de perto a iniciativa.

Correições virtuais

A equipe de Rondônia apresentou um projeto que pretende o monitoramento estatístico, em nível nacional, e a realização de correições virtuais nos tribunais brasileiros. A proposta foi apresentada pelo corregedor-geral da Justiça de Rondônia, desembargador José Jorge Ribeiro da Luz, e pelo juiz auxiliar da Corregedoria-Geral da Justiça de Rondônia, Cristiano Gomes Mazzini.

Também estiveram presentes na reunião os juízes auxiliares do CNJ, Bráulio Gabriel Gusmão e Márcio Evangelhista, o ministro do TST Aloyzio Nunes, além da equipe de juízes auxiliares e da técnica da Corregedoria e de Secretaria Nacional do CNJ.

De acordo com o juiz auxiliar da Corregedoria da Justiça Rondônia, Cristiano Gomes Mazzini, o Eolis é um sistema modular que possui módulos de monitoramento e de acompanhamento da produtividade das varas judiciais, além de possibilitar a correição digital das varas.

Transparência

“O Eolis lê os dados de origem dos sistemas utilizados pelo Poder Judiciário de Rondônia e os transforma em relatórios. Todos esses dados estão agrupados no banco de dados Ventos, que reúne as informações dos sistemas Projudi, SAP e Pje”, explicou o juiz. “Com um clique, é possível obter um panorama de toda a unidade e emitir relatório completo sobre o que pode e deve ser melhorado na vara judicial”, acrescentou.

O corregedor nacional de Justiça ficou bastante empolgado com a apresentação e parabenizou a equipe do TJRO pelo trabalho. “Quando eu vejo um tribunal dando respostas no sentido de dar maior transparência aos atos do Poder Judiciário, fico muito feliz, porque isso mostra que a Justiça está cumprindo com o seu papel constitucional e está demostrando à sociedade que ela é viável. Parabenizo o estado de Rondônia pelo exemplo! ”, concluiu o corregedor.

Fonte: http://www.cnj.jus.br/noticias/cnj//noticias/cnj/88048-corregedor-conhece-sistema-de-monitoramento-da-corregedoria-de-rondonia
Todas as informações contidas nesta página são de responsabilidade do seu criador.