CRE deve tratar das negociações entre Mercosul e Aliança do Pacífico

A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CRE) pode votar na quarta-feira (12) o pedido do líder do governo, senador Fernando Bezerra (MDB-PE), para que seja realizada uma audiência pública com o secretário-geral da Associação Latino-Americana de Integração (Aladi), Alejandro Navarrete. O diplomata, nasceu no México e ocupa o posto na Aladi desde 2017. Em entrevista recente concedida à agência de notícias espanhola EFE, ele afirmou que a recente aproximação de cúpula existente entre Mercosul e Aliança do Pacífico deve tornar-se “um novo marco” na convergência regional latino-americana.

— O fato de o Mercosul e a Aliança do Pacífico estarem trabalhando e possuírem programas em negociações, pode fazer com que se tornem as duas locomotivas levando a cabo o processo de integração regional — disse.

Navarrete considera que os dois blocos comerciais são “a chave para o futuro da convergência pela densidade que representam no que tange a comércio, PIB e população. Ali está o grosso da região”, frisou.

Ainda na entrevista à EFE, ele comparou a aproximação entre Mercosul e Aliança do Pacífico ao acordo celebrado entre França e Alemanha em 1950, que “exerceu um papel fundamental na gestação do que hoje conhecemos como a União Europeia”. Por fim, elogiou o plano de ação assinado entre os países que fazem parte dos dois blocos no ano passado, durante reunião em Puerto Vallarta (México), de somarem forças no combate às políticas protecionistas.

8 países

O Mercosul é formado hoje por Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai, na condição de membros com plenos direitos e obrigações. A Venezuela integrou o bloco entre 2012 e 2016. A Bolívia está em processo de adesão, e Chile, Colombia, Peru, Equador, Suriname e Guiana participam como “membros associados”. O Mercosul possui um artigo em seu estatuto determinando que apenas nações que compõem a Aladi podem integrar o bloco na condição de membros plenos.

Já a Aliança do Pacífico é formada por México, Chile, Colombia e Peru como países de pleno direito. Outras 57 nações dos 5 continentes participam como “observadoras”. E formam hoje a Aladi os 8 países membros totais do Mercosul e da Aliança do Pacífico, mais Venezuela, Equador, Bolívia, Panamá e Cuba.

Em seu requerimento, o senador Fernando Bezerra lembra que a Aladi é o maior grupo de integração da região. O conjunto dos 13 países abrange uma área de 20 milhões de km², número quase cinco vezes superior ao dos 28 países que fazem parte da União Europeia. Tem cerca de 530 milhões de habitantes e PIB superior a US$ 5 trilhões, informa. No final de maio a CRE aprovou, a pedido do presidente da Comissão, senador Nelsinho Trad (PSD-MS), a criação do grupo parlamentar Brasil-Mercosul-Aliança do Pacífico (PRS 39/2019).

Patriota

Também será realizada na quarta-feira a sabatina com o diplomata Antonio Patriota, indicado pelo governo para a chefia da embaixada brasileira no Egito. Patriota foi ministro das Relações Exteriores entre janeiro de 2011 e agosto de 2013, durante o governo de Dilma Roussef. Ele deixou o cargo após a polêmica envolvendo o ex-senador boliviano Roger Molina, que foi escoltado para o Brasil após passar mais de um ano asilado na embaixada brasileira naquele país. Havia uma ordem de prisão contra ele por parte da Justiça boliviana por corrupção, mas Molina alegava sofrer perseguição política do governo de Evo Morales, razão por que pediu asilo.

COMO ACOMPANHAR E PARTICIPAR

Participe:
http://bit.ly/audienciainterativa
Portal e-Cidadania:
senado.leg.br/ecidadania
Alô Senado (0800-612211)

Fonte: http://www12.senado.gov.br/noticias/noticias/materias/2019/06/10/cre-deve-tratar-das-negociacoes-entre-mercosul-e-alianca-do-pacifico
Todas as informações contidas nesta página são de responsabilidade do seu criador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *