Girão critica isenção de impostos para a importação de armas de fogo

Em pronunciamento nesta terça-feira (15), o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) criticou a decisão do governo Bolsonaro de estabelecer alíquota zero para a importação de armas de fogo, lembrando que o país agora enfrenta as consequências sanitárias, econômicas e sociais da pandemia de covid-19.

— Então, quando a gente tem o aumento de preços da cesta básica, dos remédios, poderia ser estudada alguma coisa ali, de diminuição de impostos, e não de redução em armas de fogo. Essa não é a prioridade do momento — afirmou.          

A isenção de impostos sobre a importação de armas de fogo foi suspensa pelo ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, em decisão que ainda será analisada pelo pleno do STF.

Girão destacou que não se posiciona como governista ou de oposição, mas “a favor do Brasil”. Nesse sentido, vê uma série de aspectos positivos no governo Bolsonaro e também se opõe a medidas que considera negativas, como é o caso da insistência na liberação das armas de fogo para particulares.

Ele citou dados que indicam que somente em 2019 quase 8 mil armas de fogo adquiridas legalmente foram parar nas mãos de criminosos. Além disso, os R$ 230 milhões que o governo deixaria de arrecadar com a alíquota zero dariam para montar, Girão, 1.277 leitos de UTI, para pagar 92 mil diárias extras de UTI, além de 10 milhões de kits médicos com todos os produtos utilizados no combate ao novo coronavírus.

 

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: http://www12.senado.gov.br/noticias/noticias/materias/2020/12/15/girao-critica-isencao-de-impostos-para-a-importacao-de-armas-de-fogo
Todas as informações contidas nesta página são de responsabilidade do seu criador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *