Governo e lideranças negociam veto a reajuste de servidores

A poucas horas da sessão desta quinta-feira do Congresso Nacional, representantes do governo e lideranças partidárias negociam a manutenção do veto que abre caminho para o reajuste de servidores públicos

O líder do governo no Congresso, senador Eduardo Gomes (MDB-TO), disse em entrevista à imprensa, ao lado do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que o tema é de muita relevância e mereceu a dedicação de todos na busca de um entendimento.  Ele disse ainda que é preciso chamar a atenção para o rigor fiscal do governo e destacou que o tema deve ser votado nesta tarde “de forma muito aberta e transparante”. 

— É difícil sair notícia sobre isso, mas ontem [19] votamos mais de 40 vetos presidenciais apos negociação com todas as bancadas. Restou agora o veto 17, que vamos concluir na tarde de hoje. A população, que nas últimas semanas, lembra da discussão sobre ter ou não R$ 5 bilhões para investimentos, sem furar o teto de gastos, agora se surpreende com uma despesa que pode chegar a R$ 130 bilhões. É evidente que isso traz polêmica, mas traz também traz a responsabilidade fiscal e tudo aquilo que tem unido o Congresso desde a reforma da Previdência — avaliou. 

Repercussão

A derrubada pelo Senado do veto do presidente Jair Bolsonaro a reajuste salarial de servidores repercutiu entre os senadores. Pelas redes sociais, eles se manifestaram sobre o assunto. 

Marcio Bittar (MDB-AC), Plínio Valério (PSDB-AM), Oriovisto Guimarães (Podemos-PR), assim como outros senadores, aproveitaram para reforçar a defesa pela manutenção do veto em razão do equilíbrio fiscal e o compromisso com as contas públicas.

Fonte: http://www12.senado.gov.br/noticias/noticias/materias/2020/08/20/governo-e-liderancas-negociam-veto-a-reajuste-de-servidores
Todas as informações contidas nesta página são de responsabilidade do seu criador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *