Marinho destaca papel da Comissão do Pantanal de propor medidas para combater queimadas

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, foi ouvido nesta quarta-feira (4) pela comissão temporária externa do Senado que acompanha as ações de enfrentamento aos incêndios no Pantanal. Na reunião remota, ele respondeu a questionamentos dos parlamentares e apresentou providências do governo para controlar a situação. Marinho também ressaltou a importância do colegiado para sugerir leis e medidas eficazes que ajudem a atenuar o impacto das queimadas, além de permitir que a reação dos poderes constituídos tenha mais efetividade.

— Queremos que o Parlamento brasileiro, ouvindo os especialistas e identificando os problemas ocorridos recentemente nesta catástrofe, ajude a encontrar formas mais eficazes para enfrentarmos problemas futuros. Novos incêndios vão acontecer, porque fazem parte da natureza em qualquer lugar do mundo, por mais tecnológica e avançada que seja a sociedade. Quando se cria uma comissão deste nível, com representantes importantes dos estados integrantes de um bioma como o Pantanal, a gente espera, como resultado, um subsídio das ações a serem tomadas.

Ele explicou que o ministério age em função das demandas de estados e municípios, a exemplo do que foi feito por Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Ressaltou que, de maneira rápida, o Executivo liberou mais de R$ 20 milhões para combate às chamas, além de outros R$ 19 milhões para ajudar o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) a pagar brigadistas. No caso específico de Mato Grosso do Sul, disse ele, mais R$ 6 milhões foram concedidos para recuperação de pontes destruídas pelo fogo.

— Nosso ministério se colocou à disposição, dentro de sua missão, desde que foi acionado. Tivemos o cuidado de buscar todas as informações e monitorar esse processo, inclusive com as bancadas [parlamentares] desses estados. Estamos num período de seca extrema e todos os problemas que estavam ‘adormecidos’ apareceram — destacou.

Instalada em 16 de setembro, a comissão temporária terá 90 dias de trabalho de apuração. É presidida pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT) e tem como relator o senador Nelsinho Trad (PSD-MS). Além acompanhar as providências para evitar novos focos, os parlamentares monitoram as ações de limpeza dos locais atingidos pelos incêndios, medidas de proteção das populações diretamente afetadas, da economia, da fauna e da flora, bem como a transparência das atividades coordenadas pela Operação Pantanal, realizadas pelas Forças Armadas.

Mais informações a seguir

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: http://www12.senado.gov.br/noticias/noticias/materias/2020/11/04/marinho-destaca-papel-da-comissao-do-pantanal-de-propor-medidas-para-combater-queimadas
Todas as informações contidas nesta página são de responsabilidade do seu criador.

10 thoughts on “Marinho destaca papel da Comissão do Pantanal de propor medidas para combater queimadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *