Presidente do STF mantém preso colombiano condenado por tráfico de 7 toneladas de cocaína

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Marco Aurélio, decidiu manter sob custódia da Polícia Federal, em Manaus, o colombiano Vicente Wilson Rivera Ramos, cuja Extradição (Ext 672), requerida pelo governo da Holanda, foi aprovada por unanimidade em 28 de março de 1996.

Ao aprovar a Extradição, o Supremo condicionou a entrega de Vicente Ramos ao governo da Holanda ao cumprimento da pena de 14 anos e oito meses de reclusão, em regime inicial fechado, a que foi condenado pela justiça estadual de Tocantins por participação em crime de tráfico de mais de sete toneladas de cocaína.

De acordo com a ação, Vicente Ramos vinha cumprindo essa condenação em regime semi-aberto na Casa do Albergado, em Manaus, até ser beneficiado por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que, acolhendo pedido de revisão criminal, anulou a sentença do Tribunal de Justiça de Tocantins por considerar a pena excessiva, mas manteve a condenação.

Ao confirmar a custódia de Vicente Ramos pela Policia Federal, porém, o presidente do STF cassou a decisão do STJ.

A defesa de Vicente Ramos requeria o relaxamento da prisão pela PF insistindo que ele não pode ser extraditado até que termine de cumprir a pena aplicada pela justiça brasileira, como decidiu o STF. Até lá, conforme seus advogados, Vicente Ramos permaneceria sob jurisdição da Vara de execuções Criminais de Manaus. Argumentou, também, que enquanto a decisão do STJ não for definitiva, por trânsito em julgado, persiste a condenação da justiça brasileira, não podendo ser ele extraditado. Daí apontar como arbitrária a prisão em regime fechado, efetivada pela PF.

Ainda conforme a defesa do colombiano, a ordem de prisão preventiva para fins de Extradição utilizada pela PF para encarcerá-lo não teria mais valor legal.

No último dia 19, ao comunicar ao Supremo a prisão do colombiano pela PF, o ministro da Justiça, Miguel Reale Júnior, afirmou que estuda a possibilidade de efetivar a extradição de Vicente Ramos antes mesmo que conclua o cumprimento da pena imposta pela justiça brasileira. O ministro da Justiça justificou ao STF a necessidade de manter Vicente Ramos preso, para garantir que seja entregue ao governo da Holanda.

No despacho em que indeferiu o pedido de relaxamento da prisão, o presidente do Supremo considerou que não há ilegalidade na custódia exercida pela PF. O ministro Marco Aurélio levou em conta a decisão unânime do Tribunal que, ao acompanhar o relator, ministro Ilmar Galvão, aprovou a  Extradição de Vicente Ramos, em 1996.

Considerou, também, o voto do então presidente do Supremo, ministro Sepúlveda Pertence, para quem o colombiano deixou de estar preso à disposição do Supremo com o julgamento definitivo do processo de Extradição. Em conseqüência, conforme o ministro Pertence, cabia ao juízo de execução da pena determinada pela Justiça no Brasil definir o local em que deveria ser cumprida.

Para o ministro Marco Aurélio, o caso “gera perplexidade”, tendo em conta a decisão do STJ, que manteve a condenação sem pena a ser cumprida.

“Cumpre assim definir: diante do novo quadro jurídico, ter-se-ia a liberdade?  A resposta deve ser encontrada presente o fato de a extradição ter sido deferida, pressupondo o cumprimento a viabilidade de o Estado brasileiro entregar o extraditando ao Governo requerente”, considerou.

O presidente do Supremo considerou, contudo, que a entrega de Vicente Ramos à Holanda depende de se esgotar primeiro a competência da Justiça brasileira e até que isso se dê,  ele deve permanecer preso.

“Não menos correto, no entanto, é a necessidade de se conservar situação propícia à citada entrega, o que acontecia até o momento no qual o Superior Tribunal de Justiça veio a afastar a pena imposta e que estava sendo cumprida”, disse o presidente.

“Em síntese, não há como se concluir, a esta altura, pela ilegalidade da prisão, em face do que decidido por esta Corte”,  concluiu o ministro.

#SS/DF//RP

Fonte: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=58946
Todas as informações contidas nesta página são de responsabilidade do seu criador.

5 thoughts on “Presidente do STF mantém preso colombiano condenado por tráfico de 7 toneladas de cocaína

  1. Have you ever heard of second life (sl for short). It is essentially a game where you can do anything you want. Second life is literally my second life (pun intended lol). If you want to see more you can see these sl articles and blogs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *