Senado lança livro sobre história da Secretaria-Geral da Mesa e bastidores

O Senado lançou o livro Por Trás da Mesa: da mudança para Brasília a primeira votação remota da história, uma obra que reúne a história da Secretaria-Geral da Mesa do Senado (SGM) desde a sua instalação em Brasília, em 1960, até os dias atuais. O lançamento foi feito durante a sessão semipresencial desta quarta-feira (16) pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre, que destacou a obra como um documento de resgate da história do funcionamento da Casa e que traz uma contribuição importante para a memória política do país.  

— Concebida no âmbito das comemorações do aniversário de 60 anos de Brasília e fruto de três anos de trabalho de pesquisa de uma equipe formada por jornalistas, arquivistas, historiadores e servidores do Legislativo, esta obra se propõe a cumprir um compromisso público do Senado Federal com a preservação da sua memória que se confunde com a memória do Brasil. Apresento assim, a Vossas Excelências, o livro Por Trás da Mesa: da mudança para Brasília a primeira votação remota da história — registrou.  

Ainda de acordo com Davi,o livro estará disponível para consulta nas principais bibliotecas públicas do país e estará à venda na livraria do Senado Federal.

A obra, com 370 páginas, torna públicos documentos inéditos ou pouco conhecidos que constituem os arquivos do Senado e traz o ponto de vista daqueles que narram os bastidores do funcionamento da área legislativa da Casa, os acontecimentos históricos como a crise da renúncia do ex-presidente da República Jânio Quadros, o fechamento do Congresso Nacional em 1966, a redemocratização, os dois impeachments presidenciais e, mais recentemente, a narrativa do funcionamento das sessões deliberativas remotas em 2020, quando a Casa se tornou o primeiro Parlamento do mundo a manter seu funcionamento durante o isolamento social decorrente da pandemia do coronavírus.

O atual secretário-geral da Mesa, Luiz Fernando Bandeira, explicou que a obra é um trabalho que reproduz os bastidores da política nacional desde 1946, com os registros do primeiro secretário-geral, Isaac Brown, ainda no prédio do Rio de Janeiro. De acordo com Bandeira, os registros trazem a visão de quem esteve conduzindo os trabalhos nos bastidores com a apresentação de documentos e imagens curiosas como as que fazem referência à crise da renúncia do ex-presidente Jânio Quadros, a emenda constitucional do parlamentarismo e os desdobramentos que culminaram com o Golpe de 64. Segundo ele, a obra também retrata as mudanças e evoluções da própria SGM e do Senado no que diz respeito à estrutura, atuação, assim como as atividades desempenhadas nesse tempo de pandemia com a implantação do sistema remoto de deliberação.

— A partir de um certo ponto a gente cria um novo capítulo, que é 2020, o ano em que tudo mudou. É um capitulo totalmente destinado a explicar o funcionamento do Senado durante a pandemia, como funcionava o bunker, como foram aquelas votações, etc. Acho que foi um trabalho bem legal, tentando relatar todos os diferentes senadores, tudo que aconteceu no Senado ao longo dos 60 anos. Vai ser um trabalho realmente interessante — disse Bandeira em entrevista à Agência Senado.

A senadora Kátia Abreu (PP-TO) se disse impressionada com a riqueza histórica do material ao parabenizar a Presidência do Senado pela elaboração do conteúdo e defender sua distribuição junto às universidades do país.

— Quero parabenizar por este maravilhoso livro. Eu estou impressionadíssima com o conteúdo, com a riqueza da história que está aqui publicada. Já folheei aqui rapidamente, mas faço questão de ler esse livro todo porque isso aqui é uma riqueza para o nosso país. Quem dera todas as nossas universidades do país ligadas à política, à história, às ciências políticas pudessem receber um livro desse. Quem sabe nós pudéssemos fazer números um pouco mais baratos, sem a capa dura, com espiral, para fazer em número maior para doar às universidades do país — sugeriu.     

Atribuições

Entre outras iniciativas, a Secretaria-Geral da Mesa tem a atribuição de prestar assessoria direta e imediata às Mesas do Senado e do Congresso Nacional no desempenho das suas atividades constitucionais, legais e regimentais. É responsável também por executar as atividades de gestão do processo legislativo e assessora, junto com outras unidades, as comissões permanentes e temporárias da Casa, assim como as comissões mistas do Congresso Nacional.  

Doze servidores já ocuparam o cargo de secretário-geral da Mesa. Desde abril de 2014 a função é exercida por Luiz Fernando Bandeira.  

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: http://www12.senado.gov.br/noticias/noticias/materias/2020/12/16/senado-lanca-livro-sobre-historia-da-secretaria-geral-da-mesa-e-bastidores
Todas as informações contidas nesta página são de responsabilidade do seu criador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *