TV Justiça: A música regional nordestina invade o Refrão

O "Refrão" desta semana recebe a trupe da Dona Zefinha. Uma banda de música brasileira, autoral e independente, que mistura música, teatro e dança a partir de elementos sonoros, cênicos e coreográficos, invocando os arquétipos ancestrais das manifestações da cultura popular brasileira.

Originais do Ceará, eles falaram sobre a música “A ladainha”, de Orlângelo Leal. A letra conta a história de uma pessoa que não tem dinheiro para pagar o aluguel, a fatura do cartão de crédito, o plano de saúde… "A música Ladainha fala da dificuldade de sobreviver no mundo contemporâneo, da dificuldade que é viver hoje em dia, porque se você quer ter qualidade de vida, tem que pagar caro", diz Orlângelo Leal, que além de compositor, também é voz e violão na banda.

Uma composição que está no CD da banda, “Dona Zefinha vai à feira”. O trabalho reúne poesia urbana e contemporânea e faz fortes críticas ao consumismo. E esse foi um dos temas da conversa durante o programa. "Tem muita gente que compra sem ter necessidade. E o mercado te empurra produtos, mostra que ele é bom, que você precisa ter aquele produto para ficar dentro do padrão que a sociedade exige. Aí você acaba comprando aquilo, depois acaba o gás, não paga o aluguel e vai deixando as contas importantes para depois", critica Joélia Braga – vocal e percussão.

O programa conta ainda com a participação do cientista político Leonardo Barreto.

A TV Justiça apresenta versão inédita neste domingo (31), às 20h, com reapresentações na terça-feira, às 18h, quarta, às 13h30, e sábado, às 20h30.

 

Conheça a letra da música:

 

A Ladainha

Orlângelo Leal

Uma ladainha pro cartão de crédito
Uma oferenda pro talão de cheque
E mais uma prece para o crediário
Um terço, um rosário outra oração

Uma ação de Graça no banco da praça
Enquanto aguarda a procissão
Celular está mudo aluguel atrasado
Arroz de terceira sem gás no fogão

Olha a conta da luz
Livrai-nos da cruz!
Boletim da "Cagece"
Livrai-nos da peste!
E a escola do menino
Milagre divino!
Ela é particular
Eu me benzo, me prosto
Meu Senhor me cure
Plano de saúde não posso pagar

Três glórias amém
O juro aumentado
Assalariado devoto, cristão
Um fio do bigode como pagamento
É um sacramento pro macho varão
Graças a Deus que Deus existe
Graças a mim que tenho fé em Deus

 

Fonte: TV Justiça 

Fonte: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=108844
Todas as informações contidas nesta página são de responsabilidade do seu criador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *